Página do CluVe

www.cluvecoimbra.pt

20 ANOS DO CLUVE - COMEMORAÇÕES


AMIGO ASSOCIADO DO CLUBE DE VETERANOS DE ATLETISMO DE COIMBRA




O CLUVE completa esta ano, 15 de Dezembro, o vigésimo aniversário da sua existência.

Já é uma idade representativa da participação activa no tecido desportivo e social, só possível pelo empenhamento dos que sempre acreditaram nos objectivos de um Atletismo para Todos, um Desporto para Todos e, sobretudo, Uma Amizade para Todos.

Foi decidido, ainda que apenas de um modo simbólico, que comemorássemos este período com um conjunto de acções significativas em que envolvêssemos todos os que, no passado e no presente, estabeleceram laços sociais fortes como associados e atletas do CLUVE.

Assim, e dum modo provisório, por incompleto em alguns pormenores, divulgamos o Programa de Comemorações, esperando desde já a sua participação muito significativa e calorosamente recebida.

PROGRAMA


25 de Setembro - Sábado 15H00 - Auditório da Casa Municipal da Cultura de Coimbra

Fórum do Desporto - 1ª Apresentação

Palestra/Debate com: Professor Carlos Gonçalves

Tema - "Capacidades Fisicas e evolução correlacionada com as disciplinas de atletismo e a idade do praticante."


23 de Outubro - Sábado 15H00 - Auditório da Casa Municipal da Cultura de Coimbra

Fórum do Desporto - 2ª Apresentação

Palestras/Debate com:

Prof. Dr. Polybio Serra e Silva


Tema - "Bom funcionamento cardíaco e alimentação"

Prof.Dr. Páscoa Pinheiro

Tema: "Lesão muscular no atleta veterano"

Professor Moniz Pereira

Tema: "Como os atletas treinados por mim conseguiram ascender ao mais alto patamar internacional"


31 de Outubro - Domingo - 10H00

Corrida Pedestre na Cidade (em circuito fechado e local a designar).
Provas para todos os escalões a partir da categoria de Infantis

15 de Novembro

Data até à qual será apresentado o Documento Histórico sobre o CLUVE

19 de Novembro - Sexta-feira 20H00 - em local a designar

Jantar de Aniversário


E pronto, amigo. É, neste momento, o que já podemos adiantar.
Já há grupos de trabalho a funcionar e toda a ajuda é bem vinda.
Contamos consigo!

A Direcção


CLUVE
20 ANOS

HTTP://CLUVECOIMBRA-BLOGSPOT.COM

JL.29.07.2010

ALTERAÇÕES AO REGULAMENTO GERAL DE COMPETIÇÕES

Da Associação Distrital de Atletismo de Coimbra recebemos a Circular nr. 5, de 28 de Julho de 2010, que passamos a transcrever para conhecimento de todos os associados:

ALTERAÇÕES REGULAMENTO GERAL COMPETIÇÕES

A Comissão Administrativa da ADAC
Na Assembleia Geral da FPA realizada em 24.07.2010 foram aprovadas várias
alterações ao Regulamento Geral de Competições, sendo de destacar as seguintes
disposições a vigorar a partir de 1 Outubro p.f.:
1- Os escalões são considerados em relação ao ano civil em que os atletas
atingem as idades estipuladas, isto é, a partir de 1 de Janeiro.
Relativamente aos atletas veteranos, a mudança de escalão efectuar-se-á
no dia em que o atleta perfaz a idade correspondente a cada escalão.
2- O pagamento do seguro desportivo a efectuar no acto da inscrição
inicial/renovação/transferência de atleta reporta-se ao valor do seguro do
escalão correspondente à data de 1 Janeiro seguinte.
3- Um atleta que não se encontre inscrito na FPA durante 2 (duas) ou mais
épocas desportivas, será inscrito como inscrição inicial (ou primeira
inscrição).
4- A época desportiva tem o seu início a 1 de Outubro.
5- O período de transferências na FPA, via Associação Regional, decorre
entre os dias 16 a 30 de Setembro, nas condições previstas no actual
regulamento em vigor.

JL.29.07.2010

CLUVE
20 ANOS

http://cluvecoimbra.blogspot.com

O CLUVE E A INVESTIGAÇÃO CIENTÍFICA - "Descoberta de novos factores de risco para as doenças cardiovasculares"

Participação do CLUVE num estudo científico a decorrer na Faculdade de Medicina da Universidade de Coimbra

As doenças cardiovasculares são hoje a principal causa de morte na maior parte dos países do mundo e em particular nos mais desenvolvidos. Todavia, se anteriormente elas eram consideradas como uma consequência natural do envelhecimento, hoje são entendidas como doenças predominantemente “fabricadas pelo Homem”, grandemente influenciadas pelas escolhas que se fazem, nomeadamente em termos de hábitos alimentares e de estilo de vida (em particular de prática de exercício físico versus vida sedentária).

Com o objectivo de tentar confirmar a influência que a prática de exercício físico regular ao longo dos anos poderá ter como medida preventiva das doenças cardiovasculares, um grupo de investigação do Instituto de Farmacologia e Terapêutica Experimental da Faculdade de Medicina da Universidade de Coimbra (IFTEFMUC), solicitou ao CLUVE (Clube de Veteranos de Atletismo de Coimbra) que participasse num estudo científico relacionado com a descoberta de novos marcadores de risco/prognóstico para a doença cardiovascular.

Prontamente se disponibilizou um grupo de atletas que voluntariamente se deslocou ao IFTEFMUC. Aí, foi sujeito a um questionário onde se recolheram os seguintes dados (após consentimento informado):

- dados antropométricos (idade, peso, altura, sexo, perímetro abdominal)

- pressão arterial

- hábitos alimentares, de exercício físico e tabágicos

- terapêutica medicamentosa

- eventuais patologias associadas

Voluntariamente, foi ainda feita uma colheita de sangue, sendo que todos os atletas tiveram que comparecer em jejum para posterior análise de diversos parâmetros bioquímicos, de equilíbrio oxidativo e de inflamação.

Espera-se que o estudo em curso possa permitir tirar conclusões sobre a importância que o exercício físico, praticado regularmente ao longo dos anos, poderá ter na prevenção das doenças cardiovasculares, comparativamente com os resultados obtidos em outros grupos com vida sedentária.

Ainda que o número de voluntários atletas já incluídos no estudo ainda esteja aquém do necessário para validar cientificamente o trabalho, espera-se em breve alargar esta amostra, de modo a torná-la estatisticamente significativa e permitir a obtenção de conclusões com a necessária robustez.

Deste modo, o grupo de investigação agradece, uma vez mais, e agora publicamente, a pronta resposta por parte do grupo de voluntários do CLUVE que, após solicitação, logo se disponibilizou, mesmo sabendo que a recolha de dados e amostras iria acontecer durante uma manhã de domingo, com uma boa disposição invejável, primeiro sinal da influência que a prática regular de exercício físico tem na obtenção de um equilíbrio físico, intelectual e social no Homem.

Agradecendo vivamente a participação de todos, esperamos poder continuar a contar com o CLUVE nesta iniciativa, solicitando aos que naquele momento não tiveram disponibilidade para dar o seu contributo, a amável presença em próxima data, por forma a que possamos obter um número apropriado de atletas para o estudo em questão.

Só com este tipo de iniciativas e com a colaboração dos voluntários poderemos chegar a conclusões futuras tão importantes como a “Descoberta de novos factores de risco para as doenças cardiovasculares”.

O grupo de investigação do IFTEFMUC,

Professor Doutor Frederico Teixeira (Orientador Principal)

Doutor Flávio Reis (Co-Orientador)

Filipa Mascarenhas Melo (Investigadora)

José Sereno (Investigador)

Patrícia Garrido (Investigadora)


PROVA DE ATLETISMO MESTRE D'AVIZ - BATALHA - 15 DE AGOSTO


Tem lugar no dia 15 de Agosto na Batalha, integrada na programação das Festas Concelhias, mais uma edição do Grande Prémio de Atletismo Mestre de Aviz.

A prova, com cerca de 6 Km, percorre as localidades de São Jorge (Concelho de Porto de Mós) e termina na Batalha, junto ao emblemático Mosteiro de Santa Maria da Vitória.

Para os acompanhantes dos atletas, a organização leva a efeito uma caminhada que dará a conhecer a margem do Rio Lena, com a entrega de uma lembrança no final e reforço alimentar.

Assim, somos a remeter o Regulamento e o cartaz oficial da Prova que contará com o apoio técnico da ADAL.

Todas as informações através de:

Telefone - 244827580
Fax - 244812972
E-mail - assleiria@adal.pt




JL.29.07.2010

CLUVE
20 ANOS

cluvecoimbra.blogspot.com
cluve.vet@gmail.com
telf:961204541

Bem-vindos à 22ª Meia Maratona “Cidade de Ovar”

O AFIS/Ovar está já a trabalhar na organização de mais uma edição da Meia–maratona, que como é hábito decorrerá no próximo 5 de Outubro.

Em paralelo à Meia-maratona , realiza-se a 15ª Mini-Maratona “Correr pela vida, não à droga” e a 10ª Caminhada.

Na edição deste ano, para já, há a registar as seguintes alterações:

  • Possibilidade de fazer inscrições on-line

  • Os dorsais não serão enviados por correio (informações sobre o

    levantamento oportunamente)

Toda a informação em http://www.afis.pt/mm


AFIS/Ovar

Apoios:

Patrocinios:

- Mostrar citação -

28ª EDIÇÃO DA PROVA DO BODO - POMBAL 24 de Julho de 2010


10 Kms, 400 atletas inscritos, muitos mais na Caminhada e 32 graus centígrados.

Foi a 28ª Edição da Prova do Bodo em Pombal, este ano reduzida a 10kms, ao contrário dos anos anteriores em que se realizou com a distância de 21,097 Kms - Meia Maratona, portanto.

E lá foram cinco bravos do CLUVE,
cujas classificações ficaram assim determinadas:

ISABEL TRINDADE, com 00:49:17, ficou na Geral em 248 e 12ª no escalão único Feminino.
NARCISO ARROMBA, em 253 na Geral e 20º em VET 4, perfez o tempo de 00:49:46. De seguida o AFONSO MACEDO posicionou-se em 253º lugar da Geral e 13º em VET 5 com o tempo de 00:51:57. O JOSÉ MADEIRA com o tempo de 00:56:24 quedou-se pelo 300º lugar na Geral e 25º em VET 4. Finalmente, JORGE LOUREIRO, 01:03:28, Geral 314, 18º no escalão VET 5 .

Continuam a existir organizações que, incompreensivelmente, insistem na antiga catalogação dos Escalões gerando, no mínimo, alguma confusão.

De registar ainda o elevado número de desistências devido às condições muito duras da prova onde os abastecimentos líquidos falharam na parte final da prova.

Positiva a moldura humana e o elevado número de participantes na Caminhada.

JL-25.07.2010
CLUVE - 20 ANOS
http://cluvecoimbra.blogspot.com
cluve.vet@gmail.com
telef: 961204541

CRÓNICA DA HUNGRIA 10


Chegamos pela manhã a Budapeste. Só a Paula Martinho ficou para assistir à Maratona, pois já a tinha visitado. É uma cidade lindíssima.
Hoje terminaram os Campeonatos da Europa de Veteranos em Atletismo disputados na Hungria. Portugal, o Quadro de Medalhas, ocupa o 18º lugar com 11 de Ouro, 6 de Prata e 6 de Bronze, entre 35 países medalhados.
O CLUVE conquistou uma mdelhada de bronze através da Céu Cunha (W45) no Pentatlo de Lançamentos.
Fica para a posteridade a foto dos nossos "guerreiros" (só falta o Jorge Grave).
Amanhã partimos pelas 23.30 horas para Lisboa.
Abraço
Carlos Gonçalves

CRÓNICA DA HUNGRIA 9



Hoje, sexta-feira, último dia em que os atletas do CLUVE entraram em competição no Europeu de Veteranos, estiveram em competição:

Bento Baptista (M55) - final dos 800 mts onde obteve a 7ª posição com 2.20,37:
Jorge Grave (M60) - Pentatlo de Lançamentos obtendo o 10º lugar com 2884 pontos (Martelo - 35,33 mts/ Peso - 10,56 mts/ Disco - 31,36 mts/ Dardo - 22,68 e Martelo - 14,38 mts).

Amanhã partimos pelas 7 da manhã para Budapeste. Vamos visitar a cidade, para no domingo apanharmos o avião e chegar a Lisboa pelas 23.30 horas.

Para mim foi, uma vez mais, uma honra acompanhar estes atletas e amigos. A sua preocupação em melhorar as suas marcas pessoais e dignificar o País e o CLUVE são uma constante. Foram dias maravilhosos com gente maravilhosa. Obrigado.
Carlos Gonçalves

CRÓNICA DA HUNGRIA 8




No penúltimo dia de competição Céu Cunha (W45) conquistou a medalha de bronze no Pentatlo de Lançamentos com 3809 pontos. A atleta do CLUVE obteve o terceiro lugar numa disputa ponto a ponto, tendo alcançado no Martelo (35,01 mts), Peso (10,95 mts), Disco (29,14 mts) Dardo (39,11 – record nacional W45) e Martelão (13,05 – record nacional W45).

Por sua vez Paula Martinho (W55) alcançou o 11º lugar com 2885 pontos (Martelo -27,83 mts – record nacional W55/Peso – 8,95 mts/ Disco 16,99 mts/Dardo – 27,63/Martelão – 7,51 mts).
Isabel Costa (W45) classificou-se em 15º lugar nos 200 mts com o tempo de 36.00 minutos, enquanto Emília Nunes (W50) alcançou o 14º lugar com o tempo de 37.73.
Bento Baptista (M50) classificou-se para a final dos 800 mts, a disputar hoje, ao alcançar o 3º lugar da sua série com o tempo de 2.23.01.
O dia terminou com o 6º lugar alcançado por Helena Carvalho (W55), a recuperar de uma lesão, ao conseguir a marca de 19,78.
Amanhã vai ser o nosso último dia Nyiregyháza, com a participação de Bento Baptista na final dos 800 metros. Sábado de manhã partimos para Budapeste para, no domingo, rumarmos a Lisboa.
Abraço e até amanhã.
Carlos Gonçalves

COIMBRA UNIDA CONTRA A POBREZA - ODM NA CIDADE - OBJECTIVOS DE DESENVOLVIMENTO DO MILÉNIO

O projecto ODM na Cidade congrega um conjunto de iniciativas que terão lugar em Coimbra, de 11 a 18 de Outubro, destinadas a informar e sensibilizar a sociedade civil sobre os Objectivos de Desenvolvimento do Milénio, mais concretamente sobre o Objectivo nº 1: redução da Pobreza e da Fome, em 50%, até 2015.

O CLUVE, num sentir Solidário e Humanista, aderiu desde o primeiro momento a este projecto constituindo-se em Parceiro Institucional na acção a desenvolver em Coimbra. Entre essas acções, haverá uma Marcha Branca contra a Pobreza, em 17 de Outubro, a que o CLUVE dará especial atenção.

Numa pequena síntese - consulta mais alargada e em pormenor pode ser feita em www.odmcoimbra2010.org - avançamos uma pequena explicação sobre o que são os Objectivos de Desenvolvimento do Milénio.

A Declaração do Milénio das Nações Unidas foi assinada em 2000 por 189 países, incluindo Portugal.

Os países desenvolvidos e os países em desenvolvimento comprometeram-se a desenvolver esforços para atingir os Objectivos de Desenvolvimento do Milénio (ODM) até 2015.

Estamos em 2010, passaram 2/3 do tempo previsto e é tempo de balanço, pois muito ainda está por fazer e dificilmente se atingirão as metas no tempo previsto.

De 20 a 22 de Setembro deste ano , a Assembleia Geral das Nações Unidas irá debruçar-se exclusivamente sobre este tema.

Os objectivos a atingir até 2015 são:

  1. Erradicar a pobreza extrema e a fome
  2. Promover a educação primária universal
  3. Promover a igualdade de género
  4. Reduzir a mortalidade infantil
  5. Reduzir a mortalidade materna
  6. Combater o HIV/SIDA, Malária e Tuberculose e outras doenças graves
  7. Garantir a sustentabilidade ambiental
  8. Promover uma parceria global para o desenvolvimento.

A Campanha do Milénio das Nações Unidas em Portugal é designada por Objectivo 2015 (www.objectivo2015.org).

Além dos endereços acima indicados, os contactos em Coimbra são: odmcoimbra2010@gmail.com e os telefones 960092989 e 914908803.

JL.21.07.2010

CRÓNICA DA HUNGRIA 7



Hoje estiveram em acção dois atletas do CLUVE. Nos 200 mts. com o tempo de 32,67, Vitor Gomes (M45) alcançou o 8º lugar na sua série e o 35º posto na geral. Pena que se tivesse lesionado logo após a partida, pois podia ter batido o seu record pessoal.
Uma estreia absoluta neste tipo de Campeonato foi a de Isabel Costa (W45) que com o tempo de 3.18,68 ficou no 8º lugar na sua série e no 17º na geral.
Amanhã vai ser um dia em cheio, pois, são muitos os atletas do CLUVE em acção:

Céu Cunha (W45) - pentatlo de lançamentos
Paula Martinho (W55) - pentatlo de lançamentos
Emília Nunes (W55) - 200 mts
Bento Baptista (W55) - 800 mts
Isabel Costa (W45) - 200 mts

Amanhã volto com mais novidades.
Abraço.
Carlos Gonçalves

11ª MEIA MARATONA DO CENTENÁRIO - PONTE VASCO DA GAMA - LISBOA

26 de Setembro de 2010 - 10.30 horas

VODAFONE 11ª MeiaMaratona do Centenário
Prova competitiva (21,095Km) com Partida da Ponte Vasco da Gama e Meta em frente ao Pavilhão Atlântico / Parque das Nações.


Mini Maratona de Portugal EDP
Aproveite para atravessar a Ponte Vasco da Gama a pé. Esta prova com cerca de 8 Km de distância tem partida em simultâneo com a "11ª VODAFONE MeiaMaratona do Centenário".

Todos os atletas terão direito a uma t-Shirt no momento do levantamento do dorsal. Os participantes que terminem a prova receberão a medalha comemorativa.


Atenção: Os dorsais só serão entregues no Pavilhão Atlântico, entre os dias 23 e 25 de Setembro, das 10.00h às 20.00h. mediante a apresentação do documento comprovativo do pagamento da inscrição.

Só serão aceites ORIGINAIS, tanto dos documentos bancários como de qualquer outro documento oficial comprovativo de inscrição.

A cronometragem será assegurada pelo sistema electrónico da Championchip.

Todas as informações em http://www.meiamaratonadeportugal.com/

JL-21.07.2010
Cluve
http://cluvecoimbra.blogspot.com
cluve.vet@gmail.com
telef: 961204541

10 ANOS DE CORRIDA EM MONTANHA NA SERRA DO ARESTAL - SEVER DO VOUGA

Aproxima-se a data da realização do 10º TRILHO DOS MOUROS – ARESTAL 2010, uma clássica das provas de montanha nacionais que, anualmente, leva até Sever do Vouga e Serra do Arestal muitos dos amantes da corrida e marcha pedestre em montanha do nosso país.

Integrada no Calendário Oficial de Corrida em Montanha da Federação Portuguesa de Montanhismo e Escalada esta actividade, a disputar na tarde de 31 de Julho de 2010, encontra-se aberta à participação de todos, divididos na vertente competitiva de corrida em montanha e na área do lazer dada a realização de uma marcha pedestre em percurso alternativo ao competitivo disputando-se ainda, provas para os mais novos, numa jornada desportiva para toda a família.

Ponto alto das actividades desportivas do dia de abertura da FICAVOUGA 2010 – Feira Industrial, Comercial, Agrícola, Artesanato e Gastronomia de Sever do Vouga - a competição terá partida em Sever do Vouga, em pleno recinto da FICAVOUGA 2010, e chegada na povoação de Dornelas do Vouga, percorrendo algumas das estradas florestais e trilhos pedestres da Serra do Arestal, aqui e ali a deixar entrever o belo panorama que a mesma oferece de parte da Beira Litoral com a foz do Vouga no horizonte.


Paralelamente à competição este evento conta ainda com uma caminhada pedestre, em percurso alternativo ao competitivo, num circuito com partida e chegada em Dornelas do Vouga, na distância aproximada de 7 km.

Além disso, porque não nos esquecemos dos mais novos, realizam-se ainda corridas em percurso plano, traçado no centro de Dornelas do Vouga, com estas provas a serem realizadas enquanto os mais velhos realizam a prova em montanha entre Sever do Vouga e Dornelas do Vouga.


No final das actividades desportivas será servido o já habitual churrasco para todos, junto à meta, para um belo fim de tarde / princípio de noite, de convívio e animação musical, no decurso do qual proceder-se-á à entrega dos muitos e valiosos prémios em disputa.

Para consulta do regulamento, modos e prazos de inscrição e outras informações poderão aceder à página oficial do evento em http://arestal.terrasdaventura.net

CRÓNICA DA HUNGRIA 6


Hoje não houve atletas do CLUVE em competição. Aproveitámos e fomos visitar uma mata, perto do Jardim Zoológico. Bonita, limpa, bem tratada. Fez-nos lembrar que o nosso Choupal podia também estar assim. Esta nossa mania de comparar as coisas... mas quando é para melhor!
De tarde fomos até à piscina. A temperatua do ar era de 36º e a da água da piscina descoberta era de 33º. Sim, 33º!
Como prometido informo de que Portugal ocupa o 15º lugar (há 35 países com medalhas) no ranking de medalhas, com 9 de Ouro, 5 de Prata e 3 de Bronze. As únicas medalhas (até à data) ganha por atletas de Coimbra, foram para Luís Silva (Académica - M35) nos 5 Km Marcha (21.45,00) e nos 20 Km Marcha (01.34,43) ganhando duas medalhas de Prata.
Amanhã entram em competição Vitor Gomes (M45) nos 200 mts e Isabel Costa (W45) nos 800 mts.
Até amanhã. Um abraço.
Carlos Gonçalves

CRÓNICA DA HUNGRIA 5


Novo dia. Novas provas.
Bento Baptista (M55) correu os 400 mts e obteve o 2º lugar (1.01,65) na 4ª Série. Ao final do dia correu a meia-final tendo obtido o 6º posto (1.02,68), obtendo o 10º na geral.
Por sua vez Jorge Grave (M60) participou no Martelo, obtendo o 14º lugar com 34,77 mts.
Amanhã, terça-feira, não há atletas do CLUVE em competição. Fica aqui prometido publicar o quadro de medalhas já obtido pela representação nacional.
Aproveito para agradecer à Paula Martinho disponibilizar-me os resultados diários.
Abraço.
Carlos Gonçalves

CRÓNICA DA HUNGRIA 4




Uma manhã muito chuvosa que obrigou à altera de muitas provas. No entanto, após o almoço o sol regressou e o calor também.
Teresa Mendes (W45) conseguiu uma óptima prestação na sua estreia nos 10 Km Marcha, obtendo um 7º lugar com o tempo de 1.10,43.
Jorge Grave (M60), ainda a recuperar da sua operação ao joelho, alcançou o 6º lugar (11,04 mts) na sua série e o 17º posto na geral.
Menos feliz foi Ivone Lobo (W70) que se ressentiu da lesão que a anda a apoquentar desde a saída de Coimbra e a obrigou a abandonar os 2000 mts obstáculos.
A noite foi muito bem ocupada com um serão a ouvir o Prof. António Matos que, com os seus conhecimentos na modalidade, deu uma autêntica aula do que se deve fazer para progredir em termos pessoais na modalidade.
Amanhã, segunda-feira, entram em competição Bento Baptista (M55) nos 400 mts e Jorge Grave (M60) no Martelo.
Abraço para todos.
Carlos Gonçalves

CAMPEONATO EUROPEU DE ATLETISMO DE VETERANOS - HUNGRIA

E HOJE HÁ NOTÍCIAS, NA IMPRENSA, DOS NOSSOS COMPANHEIROS DO CLUVE QUE SE ENCONTRAM NA HUNGRIA.

O "Diário de Coimbra" de hoje, na pág. 19 (Desporto) traz notícias dos atletas do CLUVE que disputam aqueles campeonatos.

Aludindo às provas disputadas na passada sexta-feira, refere a nossa representação constituida por Vítor Gomes, Alberto NUnes, Bento Batista, Jorge Grave, Isabel Costa, Teresa Mendes Céu Cunha, Paula Martimho, Emília Nunes, Helena Carvalho e Ivane Lobo.

Faz ainda uma referência especial a Céu Cunha (W45) e às suas marcas conseguidas no Martelão e no Dardo já aqui reportadas, como as de todos os outros atletas, pelo Carlos Gonçalves directamente da Hungria.

JL
18.07.2010


Cluve
http://cluvecoimbra.blogspot.com
cluve.vet@gmail.com
telf: 961204541

CAMPEONATOS DE PORTUGAL

Marco Fortes a 12 centímetros do recorde nacional.
O atleta do Benfica lançou por duas vezes o peso a 20,57 metros e conseguiu ainda outros lançamentos a 20,03 e 19,90, deixando a concorrência a mais de quatro metros e meio.

A jornada ficou ainda marcada pelo regresso de Nelson Évora às competições, pouco mais de um mês depois de começar a treinar sem limitações, na sequência da operação que fez a uma fractura de esforço na tíbia.

O saltador do Benfica, que não estará nos Europeus de Barcelona por opção de época, ganhou o triplo salto com 16,36 metros, fazendo apenas meia corrida de balanço.

"Já estava a treinar e o meu treinador viu que estava a treinar sem dores”, disse no final o campeão olímpico da modalidade, acrescentando que no futuro pretende ir para férias e recuperar o tempo perdido”, regressando apenas para os Europeus de Pista Coberta, de 2011.

Na generalidade, os resultados ficaram um pouco aquém das expectativas e registaram-se alguns triunfos surpreendentes, como o título nos 5000 metros conquistado por José Ramos, hexacampeão a poucos dias de completar os 42 anos.

No salto com vara masculino Edi Maia, do Sporting, já apurado para os Europeus, perdeu o título para o benfiquista Diogo Ferreira - ambos passaram a 5,20 metros, mas o atleta do clube da águia com menos derrubes.

Francis Obikwelu, bicampeão europeu dos 100 metros, ganhou mais um título nacional, agora com 10,30. A recuperar de uma contractura na coxa, o velocista revelou que só vai competir no hectómetro em Barcelona, prescindindo dos 200 metros.

A nível de recordes, apenas se contabilizou a queda do recorde nacional de juvenis de 1500 metros, pelo benfiquista Emanuel Rolim, com 3.47,57.

Ganhou a prova Hélio Gomes, do Sporting, com 3.45,48, longe do objectivo de obtenção de mínimos para os Europeus.

As qualificadas na marcha para Barcelona fizeram um bom teste competitivo, em 10 000 metros, com vitória para Ana Cabecinha (Pechão).

Ganhou com 43.19,51, a 11 segundos do recorde de Portugal, relegando para plano secundário Inês Henriques e Vera Santos.

Sara Moreira e Patrícia Mamona tiveram vitórias fáceis, nos 1500 metros e triplo, enquanto que nos 3000 metros obstáculos Clarisse Cruz se sagrou campeã pela quarta vez.

C/sapo.desporto

Cluve. 18.07.2010

SEMENYA REGRESSA A GANHAR

Depois da polémica em torno da questão da sua sexualidade, a atleta sul-africana voltou à competição com uma vitória.

Depois de quase um ano sem competir, Caster Semenya venceu os 800 metros na prova de Lappeenrenta, na Finlândia, com o tempo de 2.04,22 minutos.

Recorde-se que a atleta da África do Sul é detentora do título mundial nos 800 metros com o registo de 1.55,45 minutos.

c/ sapo.desporto

Cluve. 18.07.2010

CRÓNICA DA HUNGRIA 3


A chuva fez-nos hoje uma visita. Pelas 16 horas e durante uns cinco minutos choveu bem, o que veio refrescar e possibilitar uma noite com temperatura mais agradável. Mas o calor volta amnhã.
Durante o dia de hoje, só dois atletas do CLUVE entraram em acção:

PAULA MARTINHO - Peso - 8,84 mts - 10º lugar;

JORGE GRAVE - Disco - 34,82 mts - 21º lugar (8º na série)

Amanhã competem Ivone Lobo (2000 mts barreiras), Jorge Grave (peso) e Teresa Mendes (10000 mts marcha). Helena Carvalho, embora presente, continua impossibilitada de participar por lesão.

Até amanhã. Abraço da Hungria.
Carlos Gonçalves

CRÓNICA DA HUNGRIA 2




Não fora a lesão contraída por Alberto Nunes e o dia tinha sido inteiramente positivo para os atletas do CLUVE. Mesmo debaixo de um calor sufocante os nossos atletas entraram com vontade de mostrar a sua fibra.
Os resultados de hoje foram:

Céu Cunha (W45) - Martelão - 12,70 - 4ª classificada
Céu Cunha (W45) - Dardo - 36,20 - 5ª classificada

Paula Martinho (w55) - Dardo - 27,44 - 7ª classificada

Teresa Mendes (W45) - 33.18,44 - 7ª classificada

Jorge Grave (M60) - Martelão - 14,86 - 9º classificado

Alberto Nunes (M55) - 13,69 - 3º na série e 14º no geral

Amanhã, sábado, temos em competição Jorge Grave (disco) e Paula Martinho (Peso)

Até amanhã. Carlos Gonçalves

CRÓNICA DA HUNGRIA 1

Após uma viagem muito cansativa chegámos a Nyíregyháza na Hungria. Saímos de Coimbra pelas 2 da manhã e chegámos a esta cidade húngara por volta das 22 horas. De autocarro entre Coimbra e Lisboa, avião até Budapeste e depois mais três horas e meia até ao destino. Encontrámos uma temperatura a rondar os 34º e muita humidade. Estamos instalados numa cidade universitária mesmo ao frente ao Estádio onde vão decorrer a maior parte das provas. Há um outro estádio a 15 minutos de autocarro.
Depois de um jantar reconfortante, fomos todos descansar.
Hoje foi um dia para fazer as acreditações e tomar o primeiro contacto com este Campeonato da Europa de Atletismo de Veteranos onde participam cerca de 3 200 de 41 países.
Amanhã, sexta-feira, os nossos atletas do CLUVE entram em competição:

Alberto Nunes (M55) - 100 metros
Jorge Grave (M60) - Martelão
Teresa Mendes (W45) - 5 000 Marcha
Céu Cunha (W45) - Dardo e Martelão
Paula Martinho (W55) - Dardo

A atleta Helena Carvalho por lesão, embora presente, não está em condições de competir.
Amanhã, no final, do dia colocarei os resultados obtidos.
Carlos Gonçalves

O TOUR DE FRANÇA. POIS...! NÃO É ATLETISMO, MAS É UM ATLETA PORTUGUÊS A BRILHAR NO ESTRANGEIRO-SÉRGIO PAULINHO

MAIS UM ATLETA NACIONAL BRILHA A ALTO NÍVEL. EM CICLISMO, SÉRGIO PAULINHO VENCEU UMA ETAPA, E DAS MAIS DIFÍCEIS, NO "TOUR" DE FRANÇA 2010.
A NOTÍCIA ESTÁ DADA E HOJE JÁ É OUTRO DIA. MAS, EM JEITO DE COMPLEMENTO, FICA ESTA INTERESSANTE SÍNTESE DAS PARTICIPAÇÕES DOS PORTUGUESES NO TOUR AO LONGO DOS TEMPOS.

Falar da participação portuguesa no Tour é falar de Joaquim Agostinho. O "Tino", como ficou conhecido o melhor ciclista nacional de sempre nas estradas francesas, é uma figura incontornável da Volta a França, com as suas 13 presenças na prova - apenas por uma vez não chegou ao final -, as 8 classificações no "top-10" (com 2 terceiros lugares) e as 5 vitórias em etapas, entre elas o triunfo no mítico L'Alpe d'Huez, em 1979. No entanto, o pioneiro foi António Alves Barbosa, que se estreou em 1956 com uma surpreendente 10.ª posição final, como integrante da seleção do Luxemburgo. Depois, o ciclista nascido na véspera de Natal de 1931 voltou a participar mais 3 vezes na "Grand Boucle" mas sem o mesmo sucesso - abandonou em 1957 e foi posteriormente 76.º (1958) e 65.º (1960).

Em 1957 assistiu-se a novo momento alto da história velocipédica nacional, com o jovem e malogrado José Manuel Ribeiro da Silva - então com 22 anos - a terminar no 25.º lugar na sua primeira e única participação na mais importante competição internacional de ciclismo. Num ano em que conseguiu o brilharete de passar na frente no alto do Tourmalet (2.113 metros), o ciclista de Lordelo confirmou as credenciais que lhe permitiram ganhar a Volta a Portugal em 1955 (com 20 anos) e 1957, além de uma 4.ª posição na Vuelta, neste mesmo ano. Porém, um estúpido acidente de motorizada, a 9 de abril de 1958, roubaria a vida ao jovem Ribeiro da Silva e retirou a Portugal, talvez, o sua maior figura da modalidade.

Era de sucesso

Depois dos bons resultados iniciais, Portugal só voltaria a brilhar no Tour com a chegada de Joaquim Agostinho, em 1969, pois Antonino Baptista e José Sousa Cardozo passaram sem honra nem glória pelas estradas francesas - o primeiro registou 3 desistências e o segundo também não terminou na sua única participação. Mas Agostinho entrou em cena de forma estrondosa: integrado na equipa Frimatic, arrancou um 8.º lugar final numa edição em que ganhou também duas etapas, surpreendendo toda a gente.

Os anos foram de sucesso para o ciclista natural de Brejenjas, que surgia sempre na luta pelo "top-10" - o seu pior resultado foi um 15.º posto, em 1975, exceptuando o abandono de 1981, já com 38 anos. E, depois das "ameaças" de 1971 (5.º) e 1974 (6.º), o popular "Tino" conseguiu com reconhecido mérito chegar ao pódio nas edições de 1978 e 1979, anos em que apenas perdeu para o francês Bernard Hinault (vencedor de 5 edições do Tour) e para o holandês Joop Zoetemelk - ainda o recordista de participações na prova francesa (16, chegando sempre ao fim), de segundos lugares (6) e vencedor logo no ano seguinte (1980).

Durante a "era" Agostinho, vários outros ciclistas nacionais o acompanharam. De todos, foi José Freitas Martins aquele que mais se aproximou dos feitos do maior ciclista português de sempre. Depois de um 33.º lugar na estreia, em 1973 - nesta edição, Fernando Mendes esteve também em destaque, concluindo a prova em 18.º, terminou em 12.º na edição de 1976, ano em que Joaquim Agostinho esteve ausente. Aquele foi outro dos emigrantes de sucesso do ciclismo português, averbou depois uma 16.ª posição em 1977, seguindo-se um 22.º lugar no ano seguinte.

A trágica morte impediu Joaquim Agostinho - com 41 anos, em 1983, ainda foi 11.º (!) - de cumprir o sonho de liderar a equipa do Sporting no Tour de 1984. No entanto, os seus companheiros de então estiveram em França para honrar a sua memória. E apesar dos resultados finais não serem brilhantes (Marco Chagas foi o melhor, na 77.ª posição), fica para história o brilhante triunfo de Paulo José Ferreira na 5.ª etapa, entre Béthune e Cergy-Pontoise, tornando-se no segundo português a conseguir tal feito.

Acácio da Silva

Em 1986 inicia-se a era de Acácio da Silva, outro emigrante de sucesso. Embora sem grandes classificações finais - o melhor que conseguiu foi um 61.º lugar, em 1992, no último ano que correu a Volta a França -, o transmontano que despontou para o ciclismo no Luxemburgo entrou também para história ao vestir a camisola amarela durante 5 dias, depois de vencer a 1.ª etapa na edição de 1989. Antes, já havia ganho outras duas tiradas (1987 e 1988), aproveitando as suas qualidades de sprinter.

As participações nacionais no Tour tornaram-se mais esporádicas a partir da década de 80 e, depois de Acácio da Silva, foi a vez de entrarmos no período de Orlando Rodrigues. Ao serviço da Banesto, assumiu-se sobretudo como um grande ciclista de equipa, surgindo em 1996 ao lado de um Miguel Indurain que procurava a 6.ª vitória na prova francesa. A tentativa do espanhol não foi bem sucedida mas não se pode queixar da falta de apoio do português, que estaria mais 3 vezes na Volta a França, obtendo em 1997 o seu melhor resultado, com um 33.º lugar final.

Azevedo

Depois de Orlando Rodrigues chegou José Azevedo. O vila-condense, à semelhança de Agostinho, entrou em grande estilo na alta roda, arrancando um notável 6.º lugar na estreia, em 2002, então ao serviço da equipa espanhola ONCE. No ano seguinte não seria tão feliz (foi 26.º), mas o seu valor inquestionável valeu-lhe a passagem para a US Postal, onde teria papel fundamental no apoio a Lance Armstrong. Em 2004 e 2005 esteve ao lado do norte-americano, contribuindo para a 6.ª e 7.ª vitória do mais bem sucedido ciclista na Volta a França. Apesar do esforço dispendido a defender o chefe-de-fila, isso não impediu Azevedo de garantir um fantástico 5.º lugar em 2004.

Depois de terminar 30.º em 2005, após a retirada de Armstrong na sequência do 7.º triunfo, José Azevedo surgiu em 2006 como líder da Discovery Channel (que sucedeu à US Postal), envergando mesmo o dorsal 1. Mas, apesar das fortes expectativas, o português não conseguiu repetir resultados anteriores e terminou em 19.º, naquela que foi a sua última participação na "Grande Boucle".

2010: Trio nacional

Este ano, Portugal conta com três ciclistas no pelotão que parte de Roterdão para a 97.ª edição do Tour. Sérgio Paulinho, de 30 anos, é o nome em maior destaque. Estreou-se em 2007, com uma 65.ª posição, ao serviço da Discovery Channel, contribuindo para o triunfo final de Alberto Contador. O espanhol voltou a vencer o ano passado, agora na Astana, e sempre com Paulinho ao seu lado, tendo o português ficado em 35.º lugar. Os seus desempenhos motivaram o convite de Lance Armstrong para integrar a RadioShack e o heptacampeão do Tour espera agora que Paulinho o ajude a regressar às grandes conquistas, naquela que será a sua última participação na prova.

As cores nacionais estão também representadas por uma jovem esperança, Rui Costa (23 anos), que integra a Caisse d'Epargne e faz a sua segunda presença na Volta a França. O ano passado, pela primeira vez na "Grande Boucle", acabou por ser obrigado a desistir na segunda semana devido a uma queda. Espera-se melhor sorte este ano, numa equipa que não vai poder contar com Alejandro Valverde. Chega a frança moralizado, com o titulo nacional de contrarrelógio.

O outro português, este em estreia absoluta, é Manuel Cardoso. O sprinter da Footon-Servetto, de 27 anos, aspira a ganhar uma etapa por uma equipa que vai usar bicicletas douradas.

Joaquim AGOSTINHO (13)
19698.º
197014.º
19715.º
19728.º
19738.º
19746.º
197515.º
197713.º
19783.º
19793.º
19805.º
1981abandono
198311.º
José AMARO (1)
197583.º
Joaquim ANDRADE (2)
1972abandono
197364.º
José AZEVEDO (5)
20026.º
200326.º
20045.º
200530.º
200619.º
António ALVES BARBOSA (4)
195610.º
1957abandono
195876.º
196065.º
Antonino BAPTISTA (3)
1958abandono
1959abandono
1960abandono
Firmino BERNARDINO (1)
1975abandono
José SOUSA CARDOSO (1)
1959abandono
Joaquim CARVALHO (1)
1975abandono
Marco CHAGAS (2)
198041.º
198477.º
Eduardo CORREIA (1)
1984118.º
Acácio DA SILVA (6)
198682.º
198764.º
198892.º
198984.º
1990108.º
199261.º
José Manuel RIBEIRO DA SILVA (1)
195725.º
Benedito FERREIRA (1)
1984abandono
Fernando FERREIRA (1)
197561.º
Paulo José FERREIRA (1)
1984abandono
Carlos MARTA (1)
1984122.º
José MARTINS (4)
197333.º
197612.º
197716.º
197822.º
Fernando MENDES (4)
1972abandono
197318.º
1975abandono
197727.º
Herculano de OLIVEIRA (2)
197345.º
1974abandono
Sérgio PAULINHO (2)
200765.º
200935.º
Orlando RODRIGUES (4)
199654.º
199733.º
1998abandono
200087.º
Manuel SILVA (1)
1975abandono
Rui COSTA (1)
2009abandono
José XAVIER (1)
1984119.º
Manuel ZEFERINO (1)
198494.º
1969Joaquim AGOSTINHO2 (Nancy - Mulhouse (5.ª); La Grande-Motte - Revel (14.ª))
1973Joaquim AGOSTINHO1 (Bordeaux - Bordeaux (16.ª-2))
1977Joaquim AGOSTINHO1 (Voiron - Saint-Etienne (18.ª))
1979Joaquim AGOSTINHO1 (Les Menuires - L'Alpe d'Huez (17.ª))
1984Paulo José FERREIRA1 (Béthune - Cergy-Pontoise (5.ª))
1987Acácio DA SILVA1 (Karlsruhe - Stuttgart (3.ª))
1988Acácio DA SILVA1 (Le Mans - Evreux (4.ª))
1989Acácio DA SILVA1 (Luxembourg - Luxembourg (1.ª))
2004José AZEVEDO1 (Cambrai - Arras (4.ª))
2005José AZEVEDO

c/"Record"

Cluve: 15.07.2010 (JL)